Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nas Nuvens de Um Terceiro Andar

Nas Nuvens de Um Terceiro Andar

Não gosto de silêncio

Outubro 18, 2017

Nuvem

Até compreendo as pessoas que gostam e que se sentem bem, mas eu não.

Nunca gostei. Sempre tive de estudar com música ou Tv (ou ambas!), nunca estou em casa sozinha sem algo ligado, nem que seja a rádio na Tv. Faz-me realmente confusão ouvir a minha própria respiração. Nem gosto de estar sozinha exatamente por isso, porque parece que fico triste. Aqui nas Nuvens, não é muito costume ficar um dia sozinha. Mas quando, por alguma razão acontece, parece que fico maluca! Enquanto tenho coisas para fazer até estou bem..mas depois...Depois, parexe que nada é bom. Não quero nada. Só quero que ele chegue. E que faça barulho. Assim, o meu coração sossega e eu sorrio!

Bardamerda Sra.Ministra, bardamerda!

Outubro 16, 2017

Nuvem

É tudo o que me apraz dizer-lhe, sem qualquer pudor em estar a usar asneiras. Bardamerda para si e para tudo o que tem vindo a dizer nestas últimas horas. Tem a coragem de dizer "Para mim seria mais fácil, pessoalmente, ir-me embora e ter as férias que não tive, mas agora não é altura de demissões". Então e todos os que morreram no meio desta tragédia e não mais terão férias?

Sabe Sra. Ministra: não foram só as pessoas que morreram que perderam as férias. As famílias delas perderam tudo. Acima de tudo, perderam alguém que uma pessoa amavam, algumas delas mais do que uma. Consegue perceber que as suas férias no meio de tudo isto NÃO INTERESSAM A NINGUÉM??

Sabe o que tenho pena? É que não perceba a sorte que tem em não ter ninguém que ama nesta situação. E espero que nunca tenha. Porque se acontecer, vai arrepender-se de tudo o que disse hoje. Não temos que ser mais resilientes com estas tragédias. Temos que evitá-las minha senhora.

E sabe que mais? Bardamerda para si.

Dos exames nacionais em Portugal

Outubro 16, 2017

Nuvem

A irmã do Mi, minha cunhada e afilhada, tem este ano os primeiros exames nacionais. Aqueles que realmente podem definir o futuro dela.

Está agora a comprar os livros de preparação para os exames e, ao folheá-los, deparei-me com assuntos e matérias que já tinha esquecido fazerem parte do programa. E outras que na minha altura (meu Deus, já passaram 10anos!) não estavam lá.

E, a minha opinião mantém-se: os exames não deviam definir assim a vida dos estudantes. Não são 360minutos (4exames de 90minutos, aproximadamente) que definem se uma pessoa será boa advogada, trolha ou médica. Não são.

Continuarão a ficar excelentes profissionais pelo caminho e continuarão a entrar muitos só pelo prestígio de certas profissões e não por amor à mesma. Mas o amor deveria ser aquilo que mais importa, não é?

Do que se lê e que fica #5

Outubro 15, 2017

Nuvem

O nosso legado não é quantos zeros temos na nossa conta bancária. São aqueles que temos a sorte de ter nas nossas vidas e o que podemos proporcionar-lhes."

Filme: The Book of Henry

 

Esta é uma frase do início do filme mas que reflete em muito a minha maneira de estar na vida.

Não me interessa se sou rica, se não usar o dinheiro em meu proveito para também dar felicidade aos que mais amo. O dinheiro é importante para termos uma vida estável, é verdade. Não podemos ser hipócritas e dizer que não.

Mas não serve de nada se não nos trouxer felicidade. E a minha felicidade passa por ter os meus comigo. Bem. Felizes.

E nunca sabemos como será o dia de amanhã. Por isso, vamos pensar em hoje sermos felizes ao lado dos que amamos.

Não sei se é plágio mas..

Outubro 13, 2017

Nuvem

978-972-25-3194-8_Para-a-Minha-Irma.jpg

 

a-herdeira.jpg

 

 

Enquanto arrumo as coisas para o dia seguinte e assim, a TV está ligada. Um destes dias estava a dar a nova novela da TVI "A Herdeira" e houve uma parte da novela que me chamou a atenção..porque já vi aquilo antes.

Está ali a ser reproduzido um dos livros que mais me marcou na vida: "Para a Minha Irmã", da Jodi Picoult, uma das minhas autoras de eleição. Deste livro já foi até feito filme e por isso, qual não é o meu espanto, quando vejo na novela a mesma coisa: uns pais que têm uma segunda filha para ajudar a curar a primeira. E a menina acaba por contratar um advogado, aos 12anos, para impedir que os pais consigam mais uma vez obrigá-la a fazer um transplante para ajudar a irmã... Não sei se vai acabar da mesma forma, mas esta não é uma ideia em nada original.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D