Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nas Nuvens de Um Terceiro Andar

Qui | 20.08.20

Por um futuro sustentável...

Nuvem

c5003023b0924956f8f02da586ef6401.png

Não há dúvida nenhuma que a sustentabilidade do nosso planeta é um assunto de todo o interesse e que nos cabe a TODOS fazer por isso. O planeta é NOSSO.

Assim, fiquei muito feliz quando vi a notícia de que a Pandora, conhecida marca de jóias em todo o mundo, anunciou que até 2025, todas as suas jóias serão feitas em prata e ouro reciclados.

Faz todo o sentido! A prata e o outro são materiais que podem ser reciclados continuamente sem perderem a sua qualidade. Por isso, porque não???

Mostra que as grandes marcas também têm de ter responsabilidade. Agora, claro que isto deveria ser sinónimo de baixa dos preços...que não é...mas isso é assunto de outra conversa...

 

Por aqui, amante da Pandora me confesso

Qua | 19.08.20

O que se lê aqui por cima #42

Em Nome do Amor

Nuvem

502x.jpg

 

Resumo: "Katy Speed tem 23 anos e o sonho de viver em Londres, longe da pequena cidade de Bexhill-On-Sea e do temperamento difícil da mãe.

Enquanto não consegue escapar, acompanha avidamente a vida de Gloria Reynolds, a simpática e glamorosa vizinha da frente. Para Katy, entediada com a pacatez do seu dia a dia, as estranhas movimentações na casa de Gloria são um alimento para a imaginação...

Quem serão as mulheres que a visitam ao sábado num carro preto? E porque é que por vezes vêm acompanhadas de crianças? O certo é que essas atividades suspeitas provocam algum desconforto na comunidade. Uma noite, porém, um incêndio devastador vai por fim a tudo isso… e também à vida de Gloria e da filha. Depressa se torna evidente que se tratou de fogo posto, uma notícia chocante para todos mas principalmente para Katy, pois o principal suspeito é o seu pai.

Ela sabe que ele é inocente.  E vai fazer tudo para o provar... nem que para isso tenha de arriscar a própria vida.

Romance de amor e história de coragem, Em Nome do Amor é uma incursão perturbante ao lado negro das relações humanas. No magnífico retrato de uma época já distante, a autora bestseller trata com profundidade e coragem temas tremendamente relevantes ainda nos dias de hoje."

 

Dos que não desilude, é dos melhores de Lesley Pearse. Pela envolvência, pela história, pelo amor que transparece em cada página de uma filha por um pai. Acima de tudo, por falar num dos temas que mais me marcam: a violência doméstica.

A luta destas mulheres que vivem com verdadeiros monstros. Do que tem de ser feito apra que não façam parte dos números negros. Em Portugal, este ano, já morreram 20 mulheres. 20.

A ler!

Ter | 18.08.20

Agenda 2020-2021

Nuvem

Acho que já aqui o disse, eu funciono muito por ano escolar e não tanto por ano civil. Não sei se pelo amor que sempre tive pelo regresso às aulas (que saudades do cheiro a livros novos!...), mas para mim o início do ano é mesmo em setembro!

Assim sendo, a minha agenda estava a chegar ao fim. Houve dois ou três anos que comprei agenda de ano civil mas não correu bem. Não gostei ("manias!" dizem vocês, já que o que interessa é ter os meses mas...não é bem assim!).

Hoje em dia há agendas muito giras, cheias de autocolantes, com imenso espaço, mas depois custam uma fortuna!

Ontem, quando fui às compras ao Lidl (sem publicidades nem nada do género!), encontrei lá uma que me encheu as medidas!

118068299_753844318517981_5183337413283117689_n.jp

Para além das cores giras e da mensagem com imensa piada, tem o tamanho certo.

Tem imenso espaço de escrita e tem também autocolantes (até de Natal!) e informações úteis!

117908494_728502684393224_6307216299152269224_n.jp

117388921_224528922248069_8098381950815595634_n.jp

117715729_1009857639474901_3752430749279975675_n.j

É mesmo fofinha! Em cada semana tem uma mensagem positivista!

E sabem o melhor? Custou 4,99€! Uma verdadeira pechincha que vale muito apena!

 

Pronto, agora estou pronta para este re-início!

Seg | 17.08.20

Aniversário em tempos de COVID

Nuvem

Apesar de faltar um mês e meio para os 2anos do Piolho, já ando a pensar na festinha..

"Festa? Estás louca?" Dirão vocês...

 

Louca? Claro que estou! Então como é que o meu menino já vai fazer dois anos?? DOIS???...

Mas Não. Não ensandeci (ainda...) Claro que vamos ser apenas nós, a madrinha, a tia e os avós. Os indispensáveis.

Mas ele merece ter uma festa. E mesmo não sendo uma festa com muita gente, num sítio giro ar livre, com mais meninos para brincar... ele merece que seja um dia especial.

Por isso, vamos decorar a casa a na mesma. Vamos ter um bolo giro na mesma. Vamos ter pipocas e cupcakes. Vamos!

 

Se vale apena tanto trabalho só para nós? Claro que vale. Neste momento, importa estarmos com os que amamos em segurança e com saúde. Convidar os bisavós era algo que queríamos muito mas, com a sanidade que nos resta, sabemos que era imprudente pôr mais de vinte pessoas dentro do nosso apartamento. Por isso, nãos erá uma festa grande, mas será em grande!

Estão encomendados os balões (bendito aliexpress) e todas as coisas...o tema vai ser o Panda e os Amigos (claro!) e depois mostro-vos tudo!!! Espero é que chegue tudo a tempo!


Só se é criança uma vez. E, tal como tenho dito, elas têm sido as mais penalizadas no meio de tudo isto. O dia de anos, esse, ninguém lho vai tirar!

Dom | 16.08.20

À Conversa nas Nuvens - Pedro Pinto

Nuvem

110167057_277988793296173_4232509317777882100_n.jp

Pedro Pinto. É Engenheiro Informático, professor e administrador de sistemas no Instituto Politécnico da Guarda, mas é também o criador do “Grupo de Emergência – Guarda”, um grupo criado para partilha de informação sobre o COVID-19, que tão importante acabou por se tornar para toda a comunidade. Vamos conhecê-lo melhor!

 

Olá Pedro. Antes de mais, obrigada por ter aceite este convite! Como é que surgiu a ideia de criar este grupo?

O prazer é meu. É também uma oportunidade para deixamos a nossa história escrita de como foi viver uma dura pandemia (e isto ainda está muito longe de acabar). Relativamente à ideia, há uns tempos fui moderador de um evento da Google sobre Cidadania Ativa. Nesse dia percebi, ouvindo atentamente os testemunhos dos participantes, que o voluntariado também poderia ser digital e trouxe a ideia para a Guarda. O meu objetivo era criar um grupo de voluntários digitais para ajudar nos mais diversos desafios.

Passados alguns meses a Organização Mundial de Saúde declarou a doença como uma Pandemia e começaram a aparecer alguns casos na Guarda. A 14 de março de 2020, durante uma corrida, pensei o que poderia fazer pela minha comunidade e cheguei à conclusão que pouco ou nada poderia fazer, pois, não sou médico nem enfermeiro ou outro tipo de profissional de saúde... Uns quilómetros mais à frente percebi que tinha chegado o momento de tornar-me um voluntário digital.

E foi assim que tudo começou. Cheguei a casa criei o grupo com o nome de Grupo de Emergência da Guarda (GEG) e, em menos de 24h já tinha 5 mil seguidores. A minha missão tinha começado ali e em algum momento poderia desistir...

 

E quando o criou, qual foi o intuito? E tinha noção da dimensão e da importância que ele podia ter?

 As primeiras palavras que escrevi no GEG foram estas:

O momento é de intransigência e TODOS temos de dar o nosso melhor! Por estes dias circulam os mais diversos tipos de informações, muitas delas fidedignas, mas outras apenas alarmantes e sem fundamento! É preciso combater a desinformação e criar comunidades fortes e unidas! Nesse sentido foi criado o Grupo de Emergência da Guarda para conseguirmos ter uma maior proximidade com todos da nossa comunidade. O objetivo passa por informar, mas essencialmente ajudar! Pretende-se também criar um grupo de voluntários de ajuda digital, das mais diferentes áreas, para apoio à população."

Apesar de gerir grupos e páginas no Facebook de maior dimensão, no que diz respeito a  seguidores, nunca pensei que o GEG alcançasse tais números (somos atualmente 30 mil). Acho que as pessoas perceberam a minha mensagem… estou e estarei cá sempre para a ajudar (confiem em mim)!

 

Sente que contribuiu para que toda a população da Guarda se sentisse mais segura? E que pelas suas partilhas ajudou a que cumprissem todas as normas de segurança?

Penso que sim. A responsabilidade é imensurável e sinto total confiança dos seguidores. Como tenho dito, todas as palavras têm de ser avaliadas e medidas antes de serem publicadas. É importante que todos as percebam e que não hajam várias interpretações. O facto de as pessoas terem a completa noção da realidade e a informação necessária para tomarem as melhores decisões, facilita nestes “tempos estranhos” que são de muita ansiedade. O que seria se não soubéssemos o que se passa na nossa cidade/distrito no que diz respeito à COVID-19?

 

Estar tão empenhado na partilha de toda a informação (que é quase ao minuto!) disponível e que vai sendo divulgada em termos do COVID-19, não aumentou o seu medo? Não o deixou ainda mais receoso em relação à sua família? Porque às vezes quanto mais informação, pior…

Sim, claramente! Penso que nunca disse isto a ninguém, mas quando tudo começou e apercebi-me que queria e tinha de estar completamente envolvido, pois prometi a um seguidor que nunca abandonaria este grupo, escrevi uma mensagem à minha esposa a pedir desculpa!

Dizia o seguinte… “O tempo é de guerra mas também de muita união! Compreendo cada palavra que dizes, cada movimento… todas as atitudes! O que estou a tentar fazer é ajudar! Faço-o por mim, por ti, pelos nossos filhos, pela nossa família, pelos nossos amigos, pela Guarda, por Portugal, pelo mundo! Certamente que um dia os nossos filhos, quando lhes contarmos de novo esta história, terão orgulho no pai que ajudou da forma que sabia mas também na mãe que foi uma super mãe”...

 

...o resto fica só entre nós!

 

 

No meio de tudo isto, é também um dos administradores do Pplware, o maior site de tecnologia em Portugal, que já conta com 15anos! Como é fazer parte de um projeto com tanto sucesso e longevidade?

É um enorme desafio… mas enorme mesmo! O Pplware tem 12 milhões de leitores por mês, de todo o mundo. Os leitores são muito exigentes mas também são eles que nos inspiram e nos ensinam muitas coisas. Tenho um orgulho imenso de ser administrador do projeto e não tenho propriamente a noção da dimensão do mesmo! Gostava de saber mais sobre onde e de que forma as palavras do Pedro Pinto e dos meus colegas chegam e qual o impacto. Devem existir histórias fantásticas.

 

O Pedro acaba por ser um rosto e um exemplo de empreendedorismo digital! Alguma vez pensou nisso?

Costumo dizer que, provavelmente, estou a entrar no segmento dos “influencers”. À escolha de ter ficado na Guarda, acresce o desafio de dar o meu contributo por esta cidade/distrito. Mas este caminho não é para fazer sozinho! É preciso valorizar as pessoas, os serviços, o turismo, a cultura, etc etc! O conceito de “interior” precisa de um “restyling” e este forte mundo digital é o caminho. Vamos mostrar a Guarda ao mundo, vamos mostrar porque somos a cidade dos 5Fs...

 

O Pplware ganhou 3anos consecutivos o título de “Blog do Ano” na sua categoria. Depois de alcançarem tanto sucesso, como se consegue continuar a perpetuar e a inovar para que continuem a ter mais de 12milhões de visitas por mês?

É a exigência de cada um de nós! A cada “conquista” aumenta a responsabilidade e deveremos dar continuidade à nossa ambição e inovação. É fundamental sermos autênticos a cada artigo, a cada comentário a cada publicação… e a cada dia temos de nos adaptar. Para isso contamos com os nossos leitores que nos inspiram e nos “obrigam” a dar o melhor de nós todos os dias.

 

Com tantos projetos profissionais, torna-se complicada a gestão com o tempo para a família?

Muito complicado e tenho a noção que o tempo que passou já não volta! É verdade que tenho os meus momentos para eles, mas confesso também que eles precisavam de todo o tempo do mundo… era isso que eu queria e eles também.

 

Como professor, como está a correr esta nova perspetiva de aulas?

É diferente! Eu gosto da tecnologia, que nos ajudou muito na fase de confinamento, mas faltaram as emoções, os sentimentos, o olhar… até de um simples quadro para ensinar tive saudade. Acho que a frase “Foi diferente e mais exigente” resume tudo o que se viveu (e ainda se vive).

 

E, como Pai, estar em teletrabalho, com um filho em telescola e uma bebé em casa, é um enorme desafio?

Quando se tem uma super mulher tudo fica mais fácil. O desafio foi e é enorme para ela, o stress familiar aumentou significativamente e é preciso uma gestão e organização de recurso da família.

Eu trabalhei mais horas para compensar, pois, o nível de produtividade era diferente. Estar em “multi-tasking” e em trabalho contínuo é muito difícil… ainda mais quando estamos confinados em casa com crianças pequenas! As coisas melhoraram, mas ainda continuamos a adaptar-nos a este novo mundo! Lá chegaremos...

Muito obrigada Pedro! Obrigada pelo seu fantástico trabalho e pelo exemplo enquanto cidadão!

 

Pedro Pinto.png

(Foto cedida por Pedro Pinto)

 

O Pedro é o verdadeiro exemplo de um cidadão preocupado e consciente do problema que atravessamos. O Pedro, não sendo da Guarda, tomou essa cidade como sua e não desiste de a levar ao seu melhor, de levar tudo o que de bom ela tem para dar a todos os que a queiram conhecer.

O Grupo de Emergência da Guarda, grupo que criou para ajudar toda a comunidade, conta com muitas publicações diariamente, com todos os números necessários de saber, mas, e principalmente, com todas as recomendações necessárias para que a segurança da população seja conseguida.

Precisavam-se de mais Pedros Pintos por esse país fora. Com toda a certeza. Porque o tempo que dispende neste grupo é ENORME e a troco de nada...quer dizer, nada não. Como cidadão consciente, sente que a segurança de todos é o seu maior prémio. Aliado a isto tudo, está também no Pplware, é pai, marido, filho e amigo. Como qualquer um de nós.

O Pedro é também um exemplo de alguém que vive no Interior do país mas que não deixa que isso seja um toldo ao sucesso; é um verdadeiro caso de sucesso que acaba por ser um exemplo...tudo se consegue, seja onde for.

 

O Pedro mostra-nos que está sempre ao alcance de todos conseguir ajudar. Seja de que maneira for, há sempre uma forma. Basta querer.