Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Nas Nuvens de Um Terceiro Andar

Qui | 14.02.19

À Conversa nas Nuvens - Just Smile

Nuvem

Todos a conhecemos pelo seu sorriso e simpatia. Mas também pela sua luta por fazer aquilo que gosta. A Just Smile é terapeuta da fala. Muitos desconhecem em que consiste na realidade: a terapia da fala tem como objetivo “tratar, apoiar e prestar cuidados de vida a crianças e adultos que tenham dificuldades em comunicar, comer, beber ou engolir”.  Talvez se descure um pouco a importância destes profissionais… mas aqui nas Nuvens, quisemos saber mais!

 

Olá querida Just. Obrigada por aceitares este convite! Sempre quiseste ser terapeuta da fala?

Olá Nuvem  Obrigada eu por tal convite! Então vamos lá à entrevista: não, sempre soube que queria algo relacionado com saúde, medicina tinha sido um sonho, mas a matemática tramou-me a vida e comecei a ver opções. Quando comecei a investigar apercebi-me que terapia da fala me parecia ser a profissão adequada para mim: fala barato + saúde = terapeuta da fala. Com o passar do tempo, apercebi-me que encaixava em mim que nem uma luva.

 

O que é que mais te fascina na tua profissão?

As pessoas. Lidar com pessoas tem dois lados, o bom e o mau, mas admito que o bom tem tantas vantagens que supera completamente as coisas menos boas. É bom conhecer histórias, é bom auxiliá-las e ainda melhor é ver os seus sorrisos a cada conquista.

 

Hoje em dia trabalhas numa escola. Qual é a tua função lá?

Neste momento estou envolvida num projeto para combater o insucesso escolar e percorro várias escolas de um distrito. A maior função é ajudar as crianças a combaterem as dificuldades de aprendizagem na leitura e escrita e isso envolve várias vertentes, organizar os “sons na cabeça”, auxiliar na compreensão da leitura e até corrigir os erros da fala.

 

Achas que se continua a descurar este tipo de terapias no nosso país?

Infelizmente ainda é subvalorizada, mas tenho notado uma consciência cada vez maior por parte dos pais e até das câmaras, agora falta o Estado dar o devido valor à profissão. Ainda há hospitais públicos com um ou nenhum terapeuta da fala e essa realidade tem de mudar.

 

Sentes que os pais estão alerta para os problemas que podem ser corrigidos com o vosso trabalho ou continua-se a desvalorizar um pouco?

Vemos de tudo um pouco, mas tenho notado uma consciência e uma preocupação crescente para as problemáticas das crianças e isso já é um aspeto positivo. Apesar disso é necessário continuar a divulgar as nossas áreas de intervenção e a necessidade de procurar um terapeuta da fala para algumas problemáticas menos faladas.

 

É difícil lidar com as crianças?

Não acho, aliás, adoro lidar com crianças. Têm os seus dias bons e os seus dias maus, tal como nós, mas têm uma pureza que muda tudo. Trabalhar com crianças acaba por ser bem mais simples que trabalhar com adultos.

 

Hoje em dia os professores queixam-se do aumento da má educação por parte dos alunos. Tu sentes isso no teu trabalho?

Perfeitamente, de ano para ano vejo os comportamentos piorarem. Observo uma falta de limites enorme e uma falta de reconhecimento da autoridade e isso está a criar uma geração, que será o nosso futuro, cheia de ambiguidades. Sinceramente, de uma forma um bocadinho negra e se calhar pessimista, mas que advém da minha observação em contexto escolar, é assustador os futuros adultos que estamos a criar. Contudo, acredito que um dia tudo irá mudar.

 

Vocês têm também um papel muito importante na terapia de doentes oncológicos operados à garganta e seus adjacentes. Contactaste com esta realidade?

Sim, contactei em estágios e tive um ou outro caso numa clínica de reabilitação. Admiro a força de todas as pessoas que passam por qualquer tipo de tratamento oncológico. O nosso trabalho, enquanto terapeutas da fala, muitas vezes passa pelo treino da deglutição, reeducação da fala e até da respiração.

 

Também tu tens um blog, o “Just Smile”. É também uma terapia escrever?

Sim, sem dúvida alguma. Escrever é uma das minhas melhores terapias, ajuda a manter-me focada no que é bom, a fazer balanços sobre a vida e até sobre mim mesma. Escrever é uma das melhores formas de aliviar a alma.

 

Estavas preparada para o teu cantinho ser tão visitado? E para o carinho dos teus seguidores?

Sinceramente? Não, não fazia ideia do que pretendia com o blog quando o criei e o aumento de seguidores foi sendo gradual e algo inesperado. Contudo, é um reforço e um conforto que nos dá saber que temos tantas pessoas a lerem as coisas que escrevemos e o feedback tem sido algo fantástico.

 

Por fim, qual o conselho que queres deixar a quem possa ter filhos que necessitem de terapia da fala?

Simples, procurem um terapeuta da fala em caso de dúvida. Um rastreio em muitas clínicas é gratuito e tiram qualquer tipo de dúvida sobre seja o que for. Quando existe um sinal de alerta o ideal é procurar ajuda, pois quanto mais cedo a problemática for descoberta, mais cedo o problema desaparece e mais fácil será resolver.

 

Obrigada Nuvem pelo convite, foi ótimo falar daquilo que realmente gosto e acho essencial passar a palavra sobre aquilo que é a Terapia da Fala.

Just Smile.jpg

(Foto cedida por Just Smile)

 

A Terapia da Fala era uma das minhas opções quando escolhi a minha licenciatura. Acabou por ficar de lado mas, confesso, acho que também me teria feito muito feliz.

Ser Terapeuta da Fala é fazer também muitos voltarem a sorrir. O meu avô foi operado a um tumor na garganta há 15anos. Disseram-lhe antes da operação que não voltaria a falar. Mas com a ajuda de profissionais como a Just, que ainda hoje são amigos dele, ele falou ao segundo dia depois de iniciar a terapia.

A Just, no seu blog e diariamente, mostra que é um exemplo de perseverança. De não desistirmos de lutar pelos nossos sonhos. De não desistirmos de fazer o que mais nos fará feliz.

A Just é hoje mais realizada por fazer o que gosta. E todos nós temos mais sorte por haver profissionais assim no ativo!

2 comentários

Comentar post