Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Nas Nuvens de Um Terceiro Andar

Sab | 19.02.22

A violência no futebol...

Nuvem

img_476x268$2019_04_15_08_48_04_1534220.jpeg

 

Demorei uma semana a vir falar sobre este assunto porque, na realidade, fico muito triste e de cabeça quente com estes tristes episódios. 

É muito triste, enquanto adepta de futebol e, acima de tudo, adepta de desporto e de fair-play, ver o que aconteceu no último jogo entre o FCP e o SCP. Perceber que, ao fim de tantas campanhas contra a violência, que ao fim de tanta informação, que ao fim de tanta sensibilização, pessoas que têm idade para ter juízo se deixam levar pela raiva e partem para esta violência tão gratuita e mesquinha.

Dirão-me que só quem está lá sabe e que a emoção é incontrolável e que, como ouvi, "se vai um, vão todos". Permitam-me que, como adulta e mãe, vos diga que não é este o exemplo que quero mostrar ao meu filho da importância do desporto, do bem que o desporto traz à saúde e à mente. E que, como adultos e profissionais acima de tudo, a inteligência emocional é uma capacidade que muitas vezes estamos (erradamente!) a negligenciar...

Depois, ouvi a muita gente que a culpa era do FCP e da sua mentalidade. Eu, como adepta do FCP, não me revejo em nenhum daqueles comportamentos. Não é aquela a minha mentalidade, não é aquele o amor que sinto pelo meu clube. E sim, o coração é azul e branco...mas há limites para a estupidez humana. Se não acho que têm de ser punidos? Claro que sim. Mas, acima de tudo, acho que TODOS têm culpa. Porque o lume não arde sem chama, um tango não se dança sozinho e, como diz a minha avó, "Tão ladrão é o que rouba como o que consente". Não há vítimas, apenas culpados. Todos os envolvidos são culpados. Uns mais que outros, claro está, e por isso as punições serão com certeza diferentes.

Agora, acusarem que isto é uma mentalidade deste ou daquele...meus amigos. A mentalidade é a portuguesa. Uma mentalidade onde ainda não se percebeu que o respeito pelo o outro é essencial para que também nos respeitem a nós.

É uma página manchada de tristeza e vergonha para o futebol português. Que sirva de exemplo do que não se deve fazer. Pelo menos isso.