Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nas Nuvens de Um Terceiro Andar

31.12.17

2017

Nuvem
  2017 foi tudo de bom. Porque as coisas más foram tão insignificantes em relação a tudo de bom que conquistámos. Penso que foi um ano de crescimento, o primeiro ano que passámos na Nuvem, os dois. Crescemos enquanto casal. E crescemos de mãos dadas, sem nunca as separar.  E isso, é o mais importante. Foi também um ano de muito conhecer. Conhecemos muitos cantinhos do nosso país que ainda nos eram desconhecidos e que nos mostraram que, desde que juntos, todos os sítios são (...)
30.12.17

E como foi o ano em leituras?

Nuvem
Pois que até foi bom! Segundo o Goodreads, ultrapassei em grande a minha meta:  Sim, este ano a meta tinha sido mais baixa que a do ano passado, por não a ter conseguido atingir em 2016. Mas este ano consegui voltar ao meu normal, ou seja, ler, em média, dois livros por mês (houve meses em que li 3 e noutros não li nenhum....). O facto de ter começado a ler livros no iPad também ajuda, já que os consigo ler grátis. Ou seja, só tenho comprado os livros das minhas autoras (...)
11.12.17

O melhor de 2017⭐

Nuvem
Agora é altura de começar a fazer balanços... Vamos lá!   1. O Filme   Falei dele aqui e acho mesmo que foi o meu filme de 2017. Tocou-me muito. Emocionei-me de verdade. É uma história de amor, é verdade. Mas também é uma história de luta interior e de coragem. De seguir os nossos sonhos. De enfrentar os nossos medos.   2. A série   À (...)
26.11.17

A pouco mais de um mês do ano acabar

Nuvem
Sinto que este ano passou a voar. esta loucura de vida de casa-trabalho-casa, começo a sentir que estou a ter pouco tempo. Pouco tempo para o que realmente importa. E isso incomoda-me. Deixa-me triste. Quero muito que o próximo ano me traga isso. Mais tempo. Mais tempo para as coisas boas e importantes. E que mas tragas também. Já sinto falta delas.
03.01.17

Ainda da passagem de ano

Nuvem
 Passámos a noite em família. Nenhm dos dois tinha por hábito sair nesta noite. E, mesmo havendo um concerto na cidade com algum interesse, era demasiada gente junta par amim, que sou completamente claustrofóbica e começo a pensar que se acontece alguma coisa nunca consigo sair dali.. Parvoíces minhas. Assim, e aproveitando o único ano em que os meus pais fecharam o restaurante nesta noite, preparámos um jantar em nossa casa, com tudo a que tínhamos direito, e acabou por ser uma (...)