Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Nas Nuvens de Um Terceiro Andar

Nas Nuvens de Um Terceiro Andar

A minha primeira vez...com a Uber

Julho 17, 2018

Nuvem

Utilizei pela primeira vez o serviço da Uber ontem à noite. Lembrámo-nos disso porque não queríamos tirar o carro do sítio onde estava mas queríamos mesmo ir passear. Foi a nossa melhor decisão nestas férias! 

O sítio para onde íamos é sempre um caos para estacionar e assim fomos completamente descansados! Como foram as nossas primeiras viagens (ida e volta) utilizámos códigos promocionais e nem pagámos nada! Os dois motoristas foram simpáticos e carros super limpinhos e óptimas condições! 

Deixo aqui o meu código caso queiram viagem grátis: uszkch

Há serviços que merecem ser distinguidos. Este é um deles!

Como as marcas se aproveitam da nossa ingenuidade

Julho 13, 2018

Nuvem

duvidas.jpg

Quando entramos no mundo da maternidade, isto é um poço sem fim. As marcas têm mil e uma coisas que dizem ser "indispensáveis" a dias felizes e calmos para as crianças que aí vêm e para nós pais. Ele é contentores para as fraldas, é trinta mil produtos para a pele do bebé, é mala caríssima para levar as coisas para a maternidade, é 200000 acessórios para a casa...mas, no fim, chegamos todas a uma conclusão: como viviam antigamente sem tudo isto? Eu própria, que tenho 27 anos (não sou velha ok?) não tive metade do que há hoje. Não havia câmaras de vigilância, nem sacos de dormir, nem biberões anti-cólicas (?)..como é que os meus pais sobreviveram?

Sim, há coisas muito boas hoje em dia. Que nos facilitam em muito a vida. Mas, convenhamos: a maioria é só uma forma dos pais (principalmente os de primeira viagem) gastarem dinheiro, quando a inexperiência e o medo de falharem, os ajudam a consumir tudo o que lhe digam "ser bom".

 

É verdade ou não é?

Roupa de grávida

Julho 12, 2018

Nuvem

roupa-para-gestante-redondos.jpg

(imagem daqui)

 

Como pessoa poupada que sou, sempre achei que comprar muita roupa de grávida era uma estupidez. Depois arrumamos para o lado e fica encostada, quem sabe, até nos chatearmos e darmos a alguém.

Assim, não quis gastar muito dinheiro em roupa. Como a minha barriga começou a crescer muito cedo, aos 4meses as minhas calças, apesar de serviram, já não eram confortáveis. Percebi que a isso não conseguiria escapar. Comprei então dois pares de calças de ganga e umas leggins mas também a faixa para a barriga que eu acho que ajuda muito. Ou seja, três pares. E foi tudo.

Estou quase de 28 semanas e até agora os vestidos de verão servem (porque sempre usei coisas mais largas e pouco justas) e as t-shirts, apesar de não todas, também vão servindo por agora. Ou seja, não comprei mais nada (apenas o vestido de que já falei aqui!).

Há roupas muito giras para grávida  Há. Há mesmo. E que quase fazem perder a cabeça. Mas as roupas de grávida são caríssimas! E depois penso: mesmo que eu volte a engravidar, pode acontecer ser no inverno e por isso esta roupa não visto... então, gasta mas é dinheiro com o piolho que é o que interessa!

Sou a única forreta ou há mais quem pense como eu?

Das boas compras

Julho 11, 2018

Nuvem

Já deu para ver que sou adepta de compras online.

Desta vez avenurei-me pela Notino. Nunca tinha comprado nada lá mas já várias pessoas me tinham recomendado fazê-lo.

Agora estava a precisar de um perfume e decidi então que estava na altura. Vi qual o que queria e o preço. E qual não foi o meu espanto quando vi que, em relação aos preços praticados em Portugal, eram mais de 35€ de diferença!

Encomendei e passados dois dias úteis recebi a mensagem a dizer que seria entregue no dia seguinte. E foi. Tudo direitinho. E um perfume fantástico a um preço que não lembra a ninguém.

Quando fiz a compra optei por fazer um seguro de 50 cêntimos para o caso de chegar partido ou assim mandarem outro. Mas vinha super bem embalado e correu tudo muito bem!

Destas compras que valem apena, gosto de partilhar! E não, não ganho nada com isto. A empresa não conhece este T3 aqui nas Nuvens

Um dos assuntos do momento

Julho 11, 2018

Nuvem

juventus-10072018154453458.jpeg

 

Honestamente, nunca imaginei o "nosso menino" no campeonato italiano, campeonato esse que nem gosto muito. Cá em casa vê-se bastante futebol (enquanto não for substituído pelo BabyTv ) mas o italiano....quase nada.

Depois de ontem, sei que isso mudará. Que verei com muito mais atenção. É o nosso. E tenho a certeza que vai dar o seu melhor!

A partir de agora, tenho a certeza que a "vecchia signora" ganhará muitos mais adeptos!

Alguns conselhos a quem vai casar:

Julho 02, 2018

Nuvem

veja-dicas-para-organizar-um-casamento-passo-a-pas

Para quem vai casar nos próximos tempos ou está a pensar nisso num futuro próximo, deixo aqui três ou quatro conselhos que acho que podem ajudar:

  • Quando escolherem a disposição das mesas na sala da quinta ou do restaurante ou da tenda, lembrem-se de como se sentem quando são convidados. Se a sala for sobre o comprido em que os noivos ficam de lado para toda a gente, os convidados que não estão nas mesas imediatamente ao lado dos noivos, não vão ver nada. Vão ver os noivos apenas se estes forem à mesa deles. De resto, parece que estão num almoço normal, apenas com mais barulho.
  • Também ainda sobre sala compridas, fazer o "bailarico" a meio da sala não é boa ideia. Assim as pessoas para irem de um lado ao outro da sala têm de passar no meio das pessoas a dançar e se forem com pratos ou bebidas na mão, é meio caminho andado para haver muitos acidentes.
  • Passem pelas mesas dos convidados. Não se esqueçam que se as pessoas fizeram algum esforço para estar presentes, também gostam de ter uma retribuição de carinho. Perguntar se está tudo bem, falar nem que seja 10 minutos em cada mesa, faz toda a diferença.
  • Deixar o corte do bolo para muito tarde não é boa ideia. Há sempre pessoas mais velhas que já não aguentam, as crianças muitas delas também já estão rabugentas e com birras, o que acaba por também tirar a paciência aos pais. Depois, há as grávidas que também podem já não ter a mesma pedalada agora a sério, quando depois da meia-noite e meia ainda não há um bolo partido e o casamento começou em casa do noivo às 10h30 da manhã, acreditem, vai cansar as pessoas. Haverá quem já está demasiado alegre e já não se importa, mas as restantes já estarão cansadas e não aproveitarão aquele que seria um momento bonito!
  • Fotógrafo. Bem sei que hoje em dia os fotógrafos já não gostam de expor as provas das fotos na sala e optam por fazer uma página na Internet para as pessoas escolherem... Para além de achar que não é a melhor solução porque há muitas pessoas mais velhas que não vão ter acesso e vão chatear a cabeça dos noivos e pais durante meses até verem as fotos e poderem escolher, acho que se a vossa opção for mesmo essa, devem de alguma forma passar essa informação aos convidados. Tirar fotos e depois ninguém saber como ver ou escolher... não é bonito!
  • Por fim, sei que temos a tendência de pensar mais nas "nossas" pessoas. Ou seja, a noiva preocupar-se com os seus convidados e o noivo com os seus. Mas não se esqueçam que nesse dia estão a unir família e passar a ser só uma. Fazer uma festa aos vossos e ignorar quase os do outro lado, é mesmo deselegante. E triste.

 

Não sei se ajudará alguém, mas achei que devia partilhar. Acima de tudo, será o vosso dia. Devem aproveitá-lo ao máximo e, bem sei, parecerá pequeno para tudo. Mas os vossos convidados estão ali por vocês. Se decidistes que os queriam lá, não os tratem mal...porque não servem só para as prendas, certo?

Isto da gravidez...

Junho 21, 2018

Nuvem

Sim, já sei que é um estado de graça. Sim, eu até sou uma sortuda, porque não tive enjoos, quebras de tensão nem qualquer sintoma "mau". Tenho tido o que chamam de gravidez santa!

Mas...e porque para mim é mesmo um mas...em termos psicológicos, a espera entre cada ecografia mata-me um bocadinho! Porque parece que o meu coração só descansa naquele momento em que olho para o monitor e o vejo a mexer e bem.

Ontem quase não o senti..o puto devia estar virado para outro lado, e eu comecei, aqui no fundinho, a entrar em pânico. Passa-me logo tudo de mau pela cabeça. E não sou pessimista, acho é que é a isto que chamam "coração de mãe": nunca estou descansada. Passei uma noite horrível em que mal dormi a pensar nisso mas, claro, o puto queria era dormir e nada de mexer muito.

De manhã voltou a dar o ar da sua graça e aí, voltei a respirar. Eu sei que é uma estupidez e acabei por stressar sem razão. Mas é mais forte do que eu.

Não sou a única pois não? Digam-me que não estou a ficar maluca...

Dia de Portugal!

Junho 10, 2018

Nuvem

portugal1.jpg

(imagem daqui)

 

 

 Hoje é o nosso dia. Dia do nosso país. Aquele de quem tanto falam mal mas que, no fim, é o melhor. Aquele a quem quando ouvimos falar, parece que o coração há-de explodir de alegria.

Temos coisas más? Muito más até. Mas qual não é o país que não tem? E as coisas tão boas que temos? E que nos tornam únicos?

E se ao sermos 10 milhões conseguimos tanto, imaginem se fôssemos do tamanho dos EUA...

Quem daqui tem de sair, sabe o bom que é voltar. Sabe a saudade (palavra tão nossa!) que sente deste cantinho à beira-mar plantado!

Hoje é o dia de Portugal. Hoje é o dia de todos nós.

Uma entrevista daquelas...

Junho 02, 2018

Nuvem

Já aqui disse várias vezes que um dos meus programas favoritos na televisão é o Alta Definição. Hoje, a entrevista foi com a Sara Norte, que fez parte da minha infância com uma das melhores séries portuguesas de sempre, o "Médico de Família", lembram-se?

Hoje, para mim, foi uma entrevista daquelas. Daquelas que são mesmo um murro no estômago. Daquelas que nos fazem pensar no verdadeiro valor da vida. Daquelas que nos mostram que num dia podemos ter tudo e, no dia seguinte, ficamos sem nada.

A Sara pode ser um exemplo de como a vida pode sempre recomeçar. De como nunca é tarde para voltarmos a "viver".

A Sara mostrou, sem qualquer rodeio, que alguém que tinha tudo pode passar para o nada e não perceber o que deixa para trás.

 

Que murro no estômago. Mas que grande lição de vida! Sara, só espero que sejas feliz!

Eutanásia

Maio 30, 2018

Nuvem

eutanasia.jpg

 Não tinha ainda expressado a minha opinião porque, confesso, estava expectante pelo resultado da votação de ontem. E, confesso também, é nestes dias que tenho (ainda mais!) vergonha dos políticos que nos representam.

Ninguém é obrigado a aceitar morrer, mas também ninguém devia ser obrigado a viver quando já não vive.

A minha avó definhou aos nossos olhos. Um tumor na bexiga, três vezes operado. Um tumor que se disseminou para os ossos. E que, a partir desse dia, tornou o sofrimento dela numa coisa inexplicável. Numa semana, deixou de andar pelo pé dela. As dores tornaram-se insuportáveis. A morfina deixou de fazer qualquer efeito.

Não conseguia dormir com tantas dores. Não conseguia descansar fisicamente. Mas muito menos psicologicamente. Em pouco mais de dois meses, deixou de ter noção de onde estava. Momentos (poucos) de lucidez faziam-na mostrar o desagrado por estar assim. Por não querer estar assim. Por querer partir e não poder.

Acabou por morrer poucos dias depois. Mal já nos conhecia.E nós não a conhecíamos a ela. Tão magra que era impossível mexer-lhe sem lhe partir um osso. Alimentada por sonda. E sem qualquer qualidade de vida.

Todos os que a amavam percebiam que era melhor partir. Por muito que doesse. Por muito que fossemos sentir a falta dela.

Isto aconteceu há 13anos atrás. Mas hoje, 13 anos depois, pensei que a mentalidade estivesse mais evoluída. Afinal, estamos pior do que há anos atrás. Porque agora tem-se consciência e não se faz nada na mesma.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D